quarta-feira, 15 de março de 2017

ALMANAQUE TEMÁTICO - CHICO BENTO - ESCOLA - PARTE 4

Olá, pessoal! Depois de uma semana cheia de intensidade, retorno com mais uma postagem bem bacana do ALMANAQUE TEMÁTICO - CHICO BENTO - ESCOLA. Ele traz o número 25 na capa, isto quer dizer que o título ALMANAQUE TEMÁTICO chegou em sua vigésima quinta edição com este foco no Chico Bento e em suas peripécias escolares. O ALMANAQUE TEMÁTICO pode apresentar um tema abordando apenas um personagem principal ou vários.


ESCOLA PRA QUÊ? - Chico Bento e Zé da Roça abrem a trama saindo da escola. Ele resmunga, resmunga e resmunga. Zé da Roça procura saber o porquê de tanta cara feia e ele fala que a professora passou lição demais para fazer em casa, que é uma chatice e que, qualquer dia, vai parar de ir à escola.

história completa

Em determinado momento, cada um segue seu caminho. Chico encontra outro garoto, que mostra estar perdido e não encontra a Vila Abobrinha. Ele fica surpreso pelo moleque perguntar a ele, sendo que o mesmo estava parado em frente a uma placa que informava "VILA" e para onde ele devia seguir. Acontece que o menino não sabe ler. Ele viu a placa, mas nem fazia ideia do que se tratava.


Chico o acompanha e descobre que ele nunca tinha ido à escola. No caminho, param em um mercadinho. O rapaz precisa comprar batatas. Na hora de pedir, ele simplesmente saca uma nota qualquer e diz que deseja aquele valor em batatas. Chico estranha o fato de ele sequer se ater ao valor da nota e pensar em quantas batatas estaria levando por ela. O pacote de batatas é muito grande. Ele certamente pensa que o dinheiro daria para comprar muito mais coisas além de batatas, mas como o cara poderia saber, já que era ignorante? O jeito foi gastar tudo em batata, levando muito mais do que precisava.


Então vemos o próprio Chico o levando até a escola, elogiando ela e a professora. Ele arrumou vaga para o carinha lá na classe dele, que começaria a ir no dia seguinte mesmo. E a história termina com o Chico, já no outro dia, indo feliz à escola, encontrando o Zé da Roça no caminho e falando que deseja que todas as pessoa possam saber ler e entender suas historinhas. O menino aparece mais ao fundo, como forma de mostrar ao leitor que ele foi sim à aula e deixou de ser analfabeto.



A história foi sensacional, com desenhos muito caprichados e um plano de fundo até bem elaborado do que o de costume. Só achei que ela deveria abordar mais uma ou duas situações, para enfatizar mesmo os apuros e constrangimentos que podem ocorrer a quem é analfabeto. Mas, mesmo sendo curta demais, gostei do que vi, pois foi prática e direto ao ponto. Se fosse hoje em dia, uma HQ com esse capricho, provavelmente, teria mais encheção de linguiça, talvez, tornando-se piegas, chatinha, perdendo a sua essência que foi tão certeira do jeito que fizeram.

Achei uma referência dela no Guia dos Quadrinhos, sendo abertura de Chico Bento n° 75, publicada em novembro de 1989, pela Editora Globo. Entretanto, como está sem a capa, você vê-la no site do Paulo Back. (aqui)

É O BICHO! É O BICHO! - é uma produção feita especificamente para completar revista, com traços bem típicos e uma brincadeira até interessante do Chico confundir termos didáticos  - como vocabulário, periférico, antológico e galicismo - com animais. Isso mostra que tramas secundárias podem ser bem divertidas e criativas, mesmo em sua simplicidade.

história completa


O Guia dos Quadrinhos me deu duas referências com este nome que não têm nada a ver: uma é bem recente, em uma revista do Cascão pela Panini. Claro que não é a mesma! A outra aparece em uma revista do Cebolinha de 2001. Pela data, até poderia ser considerada a possibilidade de ser ela, exceto pelo fato de que consta ter oito páginas, quando esta tem apenas quatro, ou seja, é impossível.

No site do Paulo Back só dá para checar as HQs que abrem cada edição. Às vezes ele até colocam uma ou outra, desde que tenham algum destaque. Como não é o caso desta, ficamos sem referência de onde tiraram, inicialmente, esta historinha.

ENSINA-ME TABUADA! - vem em seguida, no mesmo estilo "feito para miolo", sendo simples, porém, bem feita, que ensina algumas manhas para quem tem dificuldade com tabuada e, ao mesmo tempo, diverte. Não curti muito a ideia de terem colocado um santo para fazer o Chico aprender. Achei que não tem nada a ver, foi desnecessário, embora vemos a piadinha no final, mas poderiam ter bolado outra coisa com outro final.

Essa história foi publicada originalmente em Chico Bento n° 111, em abril de 1991, pela Editora Globo. (capa)

MAMÍFERO VOADOR! - vem mostrando um Chico Bento mais ignorante, tacanho, que se queixa com Zé da Roça porque a professora mandou fazer um trabalho sobre o mamífero voador. Mas ele confessa que sequer sabe o que é um mamífero. Zé da Roça tenta ajudá-lo explicando que ele mesmo (o Chico), por exemplo, é um mamífero. O caipiria fica bravo porque acha que o Zé da Roça usou o nome para tirar onda com a cara dele.

É uma trama curta também, simples, sem grandes pretensões e que, desta vez, preferiu deixar o personagem na ignorância a que mostrar que ele aprendeu. Foi mais engraçado assim. Nessa época, as historinhas não tinham a premissa principal de se preocupar em instruir os pequenos leitores. Se decidiam que o Chico faria papel de palhaço, assim manteriam até o fim.

Não encontrei nenhuma referência de sua publicação original. Mas notem que estas três HQs trazem um ponto de exclamação. Eu não tinha percebido esse detalhe até me deparar com a pesquisa sobre cada uma, agora, e talvez pensar que este pode ser um sinal para identificar um possível artista responsável por todas elas... pode ser, também, mera coincidência, o que acho difícil, pois, qual a importância que tem o ponto de exclamação nestas duas últimas? Fica parecendo que alguém está enfatizando algo. Para um título, não precisa ser realmente assim. Tem alguma coisa aí!...

Na próxima postagem tem mais. Deve ser a penúltima do assunto.

Já tem gente me perguntando quando voltarei a postar Disney... rsrs... Calma!...rsrsrs... Fiquei tanto tempo sem colocar nada da MSP! Vou aproveitar um pouquinho mais!


Um abraço.

Fabiano Caldeira.



2 comentários:

  1. Adoro essa história "Escola pra que?, muito boa. Já a história "É o bicho! É o bicho!" é de Chico Bento nº 263 de 1997.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Marcos! Obrigado por me dizer de onde é "É o bicho! É o bicho!". "Escola pra quê?" Lembra com saudade a fase boa das revistas onde as HQs eram mais práticas e iam direto ao ponto.

      Excluir

Peço educação e gentileza na troca de ideias. Obrigado!