segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

ALMANAQUE TEMÁTICO - CHICO BENTO - ESCOLA - PARTE 2


Olá, pessoal! Esta postagem mostra mais histórias do ALMANAQUE TEMÁTICO n° 25, CHICO BENTO - ESCOLA, publicado em Janeiro de 2013 pela Panini Comics com o preço de R$ 6,50 (seis reais e cinquenta centavos) na capa.


Dando sequência, a partir da página 30 temos:

EXCURSÃO INESQUECÍVEL - toda a turminha da escola vai a um passeio organizado pela Dona Marocas. A caminho de um clube campestre, Chico tem uma dor de barriga. Todos estão felizes com aquele dia diferenciado, menos ele, que passa toda a longa HQ tentando ir ao banheiro e não consegue. 


As situações são engraçadas e dá até uma certa comoção em ver o personagem fazendo de tudo para se aliviar e não conseguir. Imagine você, com uma dor de barriga daquelas, ter que caminhar um tanto para chegar ao local porque a professora achou que seria melhor irem parte do trajeto a pé. Depois, chegando lá, ver uma fila imensa do único banheiro existente e não poder esperar. Daí você vai e um matinho e, quando pensa que vai conseguir dar aquela cagada, tem duas meninas fofocando segredinhos lá. Então ele vê um pequeno rio e resolve fazer ali mesmo, na beirada, mas tem um pessoal pescando e se divertindo lá. Fora as atividades que vão acontecendo e exigem a atenção dele.

Chico só consegue sair dessa situação quando o ônibus faz uma parada de volta pra casa, em um lugar qualquer. 

Pra terminar, no dia seguinte, a Dona Marocas pede para que os alunos desenhem o que mais gostaram no passeio. Chico Bento desenha um vaso sanitário.

A única referência que encontrei dessa HQ foi na página de revistas da turma da Mônica que é organizada pelo Paulo Back. Parece que ela abriu a revista Chico Bento n° 152, de novembro de 1992 (Editora Globo). (capa)


O XIS DA QUESTÃO é uma HQ curtinha e bem humorada. Chico estuda uma equação para encontrar o valor de X. Zé Lelé aparece e o chama para ir brincar, mas ele diz que primeiro precisa resolver aquele dever e pede ajuda para que o amigo lhe ache o valor de X. 

Zé Lelé, lesado que só, sai por aí, em busca de encontrar o valor de X. Ele passa em uma mercearia e pergunta se tem X. O dono, não entendendo muita coisa, diz que não e pede para que ele vá a uma livraria. Lá, o vendedor também não entende o que seria esse X e, pensando se referir a um lanche, pede para que ele vá a uma lanchonete. Na lanchonete, o cara diz que tem vários X diferentes e precisa saber qual é, se é pra comer lá ou para viagem, pois o valor é diferente. Confuso, ele volta para a casa do Chico, que lhe responde que conseguiu terminar o dever com a ajuda da mãe. 

Eles vão pescar. No caminho, pra puxar assunto, Chico pergunta se peixe é com X ou CH. Zé Lelé bate nele e termina a historinha chamando-o de chato. A palavra é mostrada com CH e com X, como uma brincadeira ao leitor.

Após certa procura, vi que essa HQ é da revista do Chico Bento n° 83. O Guia dos Quadrinhos informa que ela é de Março de 1990, publicada pela Editora Globo, porém, não tem capa lá. A capa, mais uma vez, está no site do Paulo Back. (capa)


MANIA DE CHICLETE mostra Chico e Rosinha namorando, mas ele fica o tempo todo mascando chiclete e acaba irritando ela. Os dois vão à escola e lá ele se mete em uma aposta com um outro aluno, para ver quem faz a maior bola de chiclete. A história é divertida e me faz lembrar de quando alguns amigos de classe faziam isso na aula, o que irritava a professora. Para ganhar o desafio, Chico faz um bola tão grande que, quando ela estoura, todos acabam lambrecados.

Assim como em "Excursão Inesqucível", a única fonte que cita essa HQ é o site do Paulo Back. Ela foi abertura da revista Chico Bento n° 98, de Outubro de 1990 (Editora Globo). apesar dos traços serem típicos da época, não achei que ela tivesse sido a primeira trama de alguma revista, sendo que é curta e simples. (capa)


FOBIA REDONDA - Chico encontra alguns amigos ao longo da história e fica revoltado sem que eles entendam nada. Na verdade, em cada situação, algo em forma de círculo vem à tona. 

O Zé da Roça o chama pra bater uma bolinha, a Rosinha quer namorar à beira do rio e atirar pedrinhas na água para formarem aquele círculo, um vizinho pele ajuda para consertar uma roda e ele senta a roda na cabeça dele (tenho dúvidas se seria publicável hoje em dia por este momento de violência). 

No fim, os amiguinhos querem uma satisfação da mãe dele. Ela explica que ele fica assim, uma vez por mês, quando pega o boletim da escola e o vê cheio de zeros.

Não encontrei nenhuma outra revista onde essa HQ foi publicada.


A FORÇA DA MENTE é uma HQ que mostra um sábio lendo os pensamentos do Chico. A caminho da escola, ele usa a força de sua mente e vai fazendo várias coisas legais como salvar um gatinho preso em cima da árvore, paquerar uma menina, ajudar um senhor que ia se machucar ao atravessar a ponte improvisada de madeira que ia se quebrar. 

É uma produção bem simples, com poucas palavras e traços típicos de conteúdo de miolo. Não tem nada de muito interessante. Mas também não chega a ser chata.

Curiosamente, o Guia dos Quadrinhos aponta uma revista antiga do Cascão n° 5, de outubro de 1982 (Editora Abril). Apesar de que, naquela época, podia acontecer de encontrarmos algo do Chico em revistas da turma da Mônica e vice-versa, pode ser que, na verdade, o site tenha se referido a uma outra produção que tenha levado o mesmo título. Não dá para saber ao certo. Mas vou deixar o link, caso alguém tenha curiosidade de ver a capa. (clique aqui)


RONC! - Chico Bento ronca alto na sala de aula e ganha um castigo da professora. Em casa, ele estuda muito, por incentivo de seu pai, e acaba passando a noite em claro. Resultado: lá vai o Chico, cheio de sono, sendo carregado por uma coleguinha até a escola. Fico me perguntando porque não usaram a Rosinha ou qualquer outro personagem conhecido neste último quadrinho. 

A exemplo da anterior, não é chata, mas também não é aquela diversão toda.

O Guia dos Quadrinhos novamente me mostrou uma revista que acredito não ter relação nenhuma com esta HQ. Magali n° 23, de novembro de 2008, publicada pela Panini Comics, até tem sim uma historinha intitulada "Chico Bento e o Ronc!". Entretanto, neste almanaque temático está "Chico Bento em: RONC!" e por isso acredito que não deve se tratar da mesma. Caso queriam ver a capa assim mesmo, clique aqui


Observação: Seria muito bom se a MSP resolvesse investir mais em um banco de dados para suas produções. Por enquanto, o que vemos são colaborações esporadicamente expostas por leitores no Guia dos Quadrinhos e o site do Paulo Back. Apesar de já facilitarem bastante, ainda vejo que é preciso algo ainda melhor voltado especificamente para as pesquisas. 

Daqui a alguns dias eu volto com mais um apanhado de HQs deste almanaque. Ainda tem muita historinha para comentar.

Um abraço.

Fabiano Caldeira.




sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

ALMANAQUE TEMÁTICO - CHICO BENTO - ESCOLA


O ALMANAQUE TEMÁTICO DO CHICO BENTO - ESCOLA tem o n° 25 na capa, preço de R$ 6,50 (seis reais e cinquenta centavos) e foi publicado em Janeiro de 2013 pela Panini Comics.

Quer dizer que existiram outros 24 almanaques temáticos com o Chico Bento? Não. Quer dizer que o título ALMANAQUE TEMÁTICO chegou a este número atual e, nesta edição, focou no Chico Bento e suas peripécias envolvendo a escola.


A capa mostra Chico roubando a atenção na sala de aula através de um gibi dele mesmo. A professora não gosta. Esse tipo de coisa já aconteceu comigo nos meus primeiros anos de escola. Acredito que alguém mais já deve ter feito isso também.

No meu tempo, havia um certo preconceito dos professores em relação aos gibis. Ele não gostavam de incorporar atividades relacionadas a eles. O gibi não era considerado literatura, muito pelo contrário: era como uma prostituta em relação ao livros. Algo deve ter mudado de lá pra cá.

A página seguinte mostra a publicidade do "Ouro da Casa": um apanhado de HQs diferenciadas da turma toda, desenvolvidas com os artistas do próprio estúdio. E uma página de apresentação que fala um pouco desta edição.


ALUNO-PROBLEMA abre a seleção. Vemos alunos querendo agradar a professora. Antigamente usava-se levar uma maçã como demonstração de carinho e consideração. Chico apareceu com uma sacola cheia de "hortifruti". rsrsrs... Dona Marocas não gosta nada, pois todo aquele varejão improvisado acaba atrapalhando a aula. Mas o pior estava mesmo por vir, pois um outro aluno, o Fulvinho, rouba toda a evolução da trama com seu mau comportamento.



Trata-se de uma realidade muito bem exposta, aquela onde os alunos simplesmente só querem avacalhar a aula. Todo mundo ri. E não há muito o que fazer a respeito, pois é uma ação boba atrás da outra. Quanto mais a professora se mostra incomodada, mais eles aprontam. Não sei como é nos dias de hoje, mas retrataram bem o comportamento que vi até minha conclusão do ensino médio, antes chamado de colegial. Éramos assim mesmo. 

Uma curiosidade é que não há alunos conhecidos. Exceto o Zé da Roça, já um tanto 'apagado', os demais são desconhecidos. 

Publicada originalmente em Chico Bento n° 188, pela Editora Globo, em março de 1994. (capa)


LER PARA QUÊ? é uma daquelas historinhas de miolo, bem curtas, que mostra o Chico questionando sobre a importância de aprender a ler sendo que, para ele, não ia servir de nada para capinar, plantar, assim como os demais serviços da roça. Ele resolve ir nadar e, ao tirar a roupa, vê uma placa escrito que o rio estava cheio de piranhas. Caindo em si, ele volta à escola já convencido da importância de saber ler. 

O Guia dos Quadrinhos faz uma menção a essa HQ como integrante da revista Parque da Mônica n° 54, de junho de 1997 (Editora Globo). Acredito que deva ser ela mesma, apesar de poder haver outras com o mesmo nome por aí. (capa)


SEM DESCULPA é a terceira - Chico Bento não quer nem saber de ir à escola. Ao longo do caminho, vai se metendo em situações à espera de que elas lhe tomem tempo suficiente para que não chegue à aula. Mas o caipirinha não consegue. 

Só achei uma menção a ela no Guia dos Quadrinhos, que a mostra como parte da Coleção Um Tema Só n° 24 - Escola, de agosto de 1999 (Editora Globo). (capa)


O SORTUDO - Chico vai com Rosinha ao bingo da Igreja. Ele sai insatisfeito e comenta não ter sorte para ganhar as coisas. No caminho, ele vê seu pai conferindo o resultado da loteria e comenta que sua falta de sorte é "de famía". Na escola, a Dona Marocas resolve fazer um sorteio e finalmente o Chico é agraciado. Ele fica 'felizão' e ansioso até saber que foi sorteado para a prova de chamada oral.

Mais uma HQ curtinha de miolo que diverte bem.

Só achei menção dela no Guia dos Quadrinhos, no Almanaque do Chico Bento n° 54, de dezembro de 1999 (Editora Globo). (capa)


Por hoje é só! Não sei se falarei sobre todas as histórias. Vou colocando as que eu li. Eu leio aleatoriamente, então, pode ser que eu não tenha conhecimento de como são todas as HQs. Mas podem estar certos de que ainda tenho muita coisa para mostrar desta edição. 

Desculpem não colocar todas capas aqui. É que algumas estão em baixa resolução e também o link faz com que conheçam os sites que me ajudaram a elaborar esta postagem.


Abraços a todos.

Fabiano Caldeira.



quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

A CIDADE FANTASMA - PATO DONALD por CARL BARKS


A Abril Jovem lança mais um volume da coleção PATO DONALD por CARL BARKS. 

"A CIDADE FANTASMA" já é a quarta edição de luxo, lançada aqui, contendo as obras do Mestre Disney mais icônico de todos os tempos. 

Trata-se da nata das histórias em quadrinhos do Pato Donald, seus sobrinhos: Huguinho, Zezinho e Luisinho, o tio Patinhas e demais personagens (Margarida, Gastão, Pardal etc.) que fazem parte do universo desses verdadeiros "ducktales (patos aventureiros)".

24 de Fevereiro é a previsão de lançamento nas bancas, livrarias e demais pontos de venda do ramo.

Eis um genuíno 'TESOURO DISNEY' que pode ficar para sempre em sua casa.

Preço informado pela editora: R$ 59,90.





Fonte de divulgação: Abril Jovem


Abraços a todos.

Fabiano Caldeira.


terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

PALAVRAS


Palavras são  assim
Alegres, tristes, longas ou curtas mas
Livres para serem o que são, enfim
A nos emocionar com risos ou agruras
Vindo da boca e indo ao coração
Ressentindo-se ou regozijando-se
Assim as palavras vêm e vão
Simplesmente existindo ante a imensidão

Autor: Fabiano Caldeira

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

TESOUROS DISNEY - QUE REI SOU EU?


TESOUROS DISNEY está aí, para ser adquirido pelos fãs de HQs. Alguns já expressaram grande satisfação pela edição de luxo, que está um primor, e outros vêm questionando a qualidade do material. 


ALGUNS TESOUROS

Temos, afinal, um questionamento do que de fato se remete ao termo "tesouro".

A coleção de histórias de Carl Barks é um verdadeiro tesouro dos quadrinhos da Disney. É a nata da nata do universo de Donald, Huguinho, Zezinho e Luisinho, bem como os demais personagens pertencentes a eles, inclusive a criação e desenvolvimento do Sr. Patinhas. 

A edição de luxo dos Escoteiros Mirins também pode ser considerada um tesouro, pois é um apanhado das obras mais clássicas dos patinhos como escoteiros. 

Pateta Repórter, embora não seja um clássico, também conquistou tal mérito. Pateta Faz História vem aí, e este representa a nata da nata da valorização do personagem (senão a coleção toda, os primeiros volumes certamente são). 


QUE REI SOU EU?

TESOUROS DISNEY 'chegou chegando' com material raro e nunca antes publicado no Brasil. Essa edição realmente é isso tudo o que mostra a capa? Complicado responder, pois não ainda não tive acesso ao material. 

Sabemos que gosto é algo muito particular, individual, íntimo. Cada um tem o seu. A aposta na grande HQ "O MONARCA DE MEDIOKA" conferiu status à edição. 

Pesquisando, descobri que há duas histórias do Monarca: a primeira, com os créditos direcionados a Floyd Gottfreson, e a outra, considerada um 'remake', atribuída a Bill Wright. Parece que a escolhida para esta edição de luxo foi mesmo a original. Menos mal. Porém, mesmo esta obra tem seus pontos fracos. 

Pedro Bouça, no blogue COLEÇÃO DISNEY, expõe claramente suas impressões a respeito das duas HQs. Segundo ele, são divertidas e interessantes, embora não sejam realmente brilhantes. Convido você, prezado leitor, a ir visitar essa postagem dele clicando aqui

E se justamente esse material não representa de fato um oásis no deserto, o que pensar, então, do resto? Pois é!... Não é de hoje que a Abril Jovem vem publicando material inédito, fazendo com que acreditemos que devemos tê-lo, pois é uma raridade. Foi assim, há alguns anos, com a tão conhecida coleção dos CLÁSSICOS DA LITERATURA DISNEY. Tudo muito lindo, caprichadíssimo, mas com uma seleção de histórias que nem sempre corresponderam à fama. Algo semelhante, embora de maneira mais simples e discreta, fizeram em algumas edições dos tais almanaques temáticos - os quais realmente trouxeram material inédito, porém, longe de serem uma joia. 

Mas, olha só, como acabei me tendenciando a rotular... ainda que estivesse me esforçando para não fazê-lo... mas fiz. Como escrevi antes, gosto é algo muito pessoal. Eu considero tantas histórias um tesouro para mim, e sei que elas sequer são percebidas aos demais. Chego à conclusão de que tal argumento de preciosidade e agregação de valores é algo que (exceto em alguns casos) pode ser muito relativo. 

Quando a editora lança um produto com tamanho marketing, ela não está sendo maldosa e nem agindo com a intenção de tapear os seus consumidores. Ela está agregando o devido valor ao material que tem em mãos. Valor este que vai de encontro à satisfação de muitos leitores. Claro que nunca agradará a todos. Talvez o termo "tesouros" fora uma escolha infeliz, pois as palavras têm a sua força. Não é porque as HQs são do tempo em que meu bisavô empinava a sua pipa - e nunca foram publicadas aqui - que são indubitavelmente icônicas. Raras? Até podem ser. Icônicas? Há controvérsias.

O consumidor dessas edições vem se mostrando adulto, inteligente e perspicaz. Cabe a ele averiguar minuciosamente o produto, se realmente atende às suas expectativas, antes de sair por aí, feito um caminhão sem freios na banguela.




Abraços a todos os leitores
Muito obrigado pela visita de vocês.

Fabiano Caldeira.


terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

PATETA FAZ HISTÓRIA - A CAPA



Capa da edição de luxo de PATETA FAZ HISTÓRIA - Volume 1. 
Serão 5 volumes ao todo, sendo que 3 estão previstos para este ano. 
O canal da Abril Jovem no Facebook tem divulgado umas prévias.
Essas duas imagens são um belo exemplo.
Pessoal que não deu conta de encarar a coleção em 20 volumes, a hora é agora!
Previsão de lançamento em março.



sábado, 4 de fevereiro de 2017

CAPAS DAS MENSAIS DISNEY DE FEVEREIRO

A Abril Jovem tem postado com certa antecedência as novidades dos Quadrinhos Disney. E agora que já estamos em fevereiro, coloco as capas das principais revistas mensais. Para maiores novidades, acessem a editora nas redes sociais por aqui.



Minnie n° 70 - Em férias na ilha caribenha de Tranquilidade, Mickey promete não se envolver em nenhum caso de mistério, mas, desta vez, para sua surpresa, é Minnie quem começa a investigar a lenda de um tesouro que pode mudar o destino dos pescadores daquele lugar paradisíaco. Na segunda HQ inédita desta edição, Minnie recebe em sua casa a mascote preditela de suas primas: uma porquinha bagunceira que mais parece um furacão. A partir do dia 3, nas bancas e demais pontos de vendas do ramo.

Pateta n° 70Mickey e Pateta viajam 90 anos no passado até o Congresso de Solvay, em Bruxelas, para desvendar o mistério do desaparecimento do maior cientista daquela reunião: Albert Einstein! E tem mais: Pateta explica o passatempo do modelismo e, para fechar a edição, ele, Mickey e Horácio recebem a incumbência de reformar a Betty... o carro mais querido da polícia de Patópolis. A partir do dia 3, nas bancas e demais pontos de vendas do ramo.



Pato Donald n° 2464Patópolis está tomada pela febre do Livro dos Recordes e seus habitantes estão obcecados com a ideia de entrar de algum jeito para o Hall da Fama. Donald, exagerado, quer quebrar não apenas um, mas três recordes no mesmo dia! E ainda nesta edição: uma nova aventura com o Detetive Donald e tiras da Família Pato na Amazônia. A partir do dia 3, nas bancas e demais pontos de vendas do ramo.

Tio Patinhas n° 620 - O Museu de Relíquias Pré-Históricas do Tio Patinhas descobre evidências da existência de um megamamute preso nas geleiras da Sibéria, e o próprio quaquilionário, com a costumeira ajuda de seus sobrinhos, vai empreender a missão de resgate. E mais: Fantomius, Patacôncio e o dia em que o Professor Pardal criou um segundo Lampadinha para atender o Patinhas! A partir do dia 3, nas bancas e demais pontos de vendas do ramo.



Zé Carioca n° 2429 - Seis histórias clássicas e hilárias das décadas de 1970, 80 e 90. Embarque no ônibus do Pedrão, aprenda a ser um vendedor ambulante com o Peninha e prepare-se para confusão quando o Urtigão visita a redação da Patada. E mais: Morcego Vermelho na praia de Copacabana! A partir do dia 3, nas bancas e demais pontos de vendas do ramo.

Mickey n° 894O Raio da Atlântida, saga espetacular em duas partes. Baseado em novas teorias da localização da Atlântida, o roteirista e desenhista Casty, considerado um dos melhores da atualidade, nos conduz a uma aventura de exploração e mistério sem precedentes. Imperdível! A partir do dia 3, nas bancas e demais pontos de vendas do ramo.

Manual do Gastão - é a novidade deste segmento, disponível a partir do dia 17 nas bancas e demais pontos de vendas do ramo.


Enquanto isso...

TESOUROS DISNEY, lançada há poucos dias, pode ser facilmente encontrada em bancas, livrarias e demais pontos de vendas do ramo.






Abraços a todos.

Fabiano Caldeira.