segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Sobre o blogue, quadrinhos Disney, turma da Mônica e as pessoas

Faz tempo que não escrevo um artigo sobre meus pensamentos. A razão é o foco nos quadrinhos que tem feito bem ao blogue e também à minha relação com as pessoas da Internet, falando em termos gerais, pois a gente não conhece realmente o ser humano e, sim, o que ele decide mostrar a você.

Esta casa já teve assunto mais diverso, aliás, o nome SOCIALIZANDO HQ tinha sido retirado justamente para dar margem à diversidade de temas. Entretanto, esse detalhe pouco importou, pois o conteúdo falou mais alto.

As postagens recentes sobre os 'Quadrinhos Disney' fazem minhas estatísticas dispararem. Isso é bom, embora não haja comentários por aqui, mas o que importa é que o acesso tem acontecido, seja lá qual for a finalidade. A Turma da Mônica, por incrível que pareça, me faz ter prazer em encontrar sempre algum comentário de leitor por aqui. Isso é muito bom! Não tenho postado muito sobre esse universo por mero acaso. Cada postagem em torno da MSP me traz satisfação, falando em termos pessoais e estatísticos também.

Os feedbacks que ando tendo por meio das postagens da Disney não se veem neste local, mas senti na vida real ao longo deste ano. Senti o carinho e o reconhecimento de algumas pessoas, até mesmo em uma dose além do que merecia, afinal, sou um reles leitor. O retorno da 'TM', por incrível que pareça, fica apenas aqui mesmo, seja em números de acessos ou nos comentários dos amigos. Na vida real, percebo um certo receio alheio. Chega a ser desestimulante seguir. Sim, desestimulante, porque a empresa em si enfatiza que o nicho deles são as criancinhas que estão desenvolvendo leitura. Além disso, dizer que gosto de turma da Mônica faz a sociedade nerd te olhar como um retardado, doente mental, alguém que está jogando dinheiro suado pela janela e que merece uns croques para ver se as ideias voltam para o lugar.

Mas para quê importa-se com os outros? A questão não é bem essa. O buraco é mais embaixo. Há muita variedade de leitura, atualmente, e empregar dinheiro em revistinhas que andam aquém do que se sabe que poderiam apresentar é realmente um mau negócio.. Junta o conteúdo xoxo e a falta de carisma dos demais leitores de HQs sobre tal universo produzido recentemente, vem uma total falta de vontade de adquirir qualquer produto novo, sejam em Graphic Novels ou edições diferenciadas de alguma coisa... A ideia não é ler algo que agrade aos outros, mas, sim, OPTAR por títulos que me fazem ter PRAZER.

No ano vindouro tentarei postar também algo sobre super-heróis e universos como VERTIGO, por exemplo. Não que eu seja um leitor bom, mas tenho algumas edições, aqui, as quais gostaria de compartilhar minhas impressões de leigo. Acho que seria divertido. Enquanto a tendência é os caras mostrarem-se fodões no assunto, eu não me importo em fazer o caminho contrário. Ruim seria ter que fingir, representar ser alguém que não sou, só para agradar à comunidade apropriada. A comunidade que se foda, eles não pagam minhas contas! Mesmo se pagassem, não teriam esse direito de me obrigarem a atender suas expectativas. Nossos pais, que já aguentaram tanta coisa nossa, não têm esse direito. Nossos cônjuges, que também aguentam cada coisa chata nossa, também não têm. Então, por que, cargas d´água me importaria em satisfazer ego de quem sequer sei onde mora? Se liga! Sou bom - muito bom - mas não sou otário!

E tocando nesse ponto, desejei meus sinceros votos de boas festas a algumas pessoas cujo contato, por algum motivo, teve seu rompimento. Por que eu fiz? Não teno vergonha em admitir que sinto saudades. Não é aquela coisa de que necessito estar ligado ao outro, pois tenho vários contatos, a ponto de não ter tempo de ficar conversando com eles nas redes sociais, pois a vida chama e não quer saber o que você anda fazendo. Mas, de vez em quando, vem a lembrança dessas pessoas e, curiosamente, meu carinho acaba prevalecendo.

Alguns desses contatos me responderam e outros não. Eu fico feliz com quem correspondeu a esse sentimento benevolente. O mundo já anda estranho demais para ficarmos nutrindo neuroses bobas por conta do ego. O ego tem tanta coisa boa para se saciar. Não precisa ficar criando raízes em um passado infértil. Aliás, o ego precisa é não esquecer dos fatos e, sim, procurar crescer, se transformar com tais acontecimentos.

Aos que não corresponderam, informo que não tenho mágoa, tristeza, não venho sentido nada parecido. São pessoas com muitas qualidades também e a vida é assim mesmo. Nem tudo é só perdão e nem tudo é só acerto. Mas agradeço ao universo, a Deus, pelos amigos que entendem as várias maneiras de se pedir desculpas, de se dizer "EU FALHEI CONTIGO, MAS TE AMO COMO IRMÃO DE FÉ. NÃO TE QUERO MAL. TORÇO POR VOCÊ."

Abraços, pessoal! Vamos caminhando com leveza. Tudo de bom.


Fabiano Caldeira.


4 comentários:

  1. De fato Turma da Mônica anda extremamente infantil, voltada pra crianças até 8 anos de idade. Uma pena.

    Feliz Ano novo pra vc. Abraços

    ResponderExcluir
  2. O meu prazer em colecionar gibis da TM está mais no fetiche de buscar as edições mais antigas, sem essa censura de hoje. Nunca fui de colecionar gibis da Disney, mas nunca deixei de ler os que apareciam. Estou querendo comprar alguns pelos reviews que você deixa aqui. Aliás eu frequento seu blogue mas não costumo deixar mensagem, acesso do trabalho sabe? (como estou fazendo agora).
    Mas diante de um texto desses, quis deixar meus votos pra um Feliz 2017 pra ti e que continue fazendo esse trabalho incrível.
    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Feliz 2017 a você também! Desejo muita fartura, prosperidade, saúde e paz no coração.

      Sobre o que escreveu, é sempre gratificante saber quem são os leitores 'novos' (que ainda não conheço) que estão por aqui, pois vejo as estatísticas crescendo e fico curioso. Obrigado por se manifestar.

      Ao longo do ano que vem o blogue continuará firme e forte, porém, como disse, focado em quadrinhos Disney e 'TM'. Tentarei inserir algo de outros universos, mas o que eu amo mesmo são esses dois nichos infantis.

      Quanto a meus textos e meus próprios quadrinhos, talvez haverá outros lugares para eles. Já tenho blogues onde escrevo alguns contos e textos a uma população específica. Hoje eu percebo que botar foco em um blogue é muito importante, é como a identidade de um indivíduo.

      E pode acreditar numa coisa: quando eu falo que tal HQ me agradou é porque realmente sinto isso. Não é para fazer média. Sou uma pessoa livre, não sou financiado por nenhuma empresa a troco de ser um parceiro que trabalha para ela. É sempre bom enfatizar aqui que minhas opiniões são realmente minhas e livres. Nada contra quem pratica a ética de "trabalhar" com empresas. Mas não é o que acontece aqui.

      Só informando mesmo....

      Um forte abraço e obrigado por se manifestar.

      Fabiano Caldeira.

      Excluir

Peço educação e gentileza na troca de ideias. Obrigado!