quarta-feira, 24 de agosto de 2016

DONALD E SEUS SOBRINHOS E A MANIA DO PORKOMON

Donald fica irritado porque os sobrinhos não colaboram: não querem saber de nada, não ajudam em casa, não querem estudar, só ficam falando da modinha do momento, o universo dos Porkomons. Percebendo que seu controle está sendo praticamente zero, o pato resolve procurar conselhos com o Prof. Ludovico que, por sua vez, mostra-lhe o raciocínio baseado no caminho contrário ao da repreensão. A lógica dele é que Donald entupa os sobrinhos de tanto Porkomon - assim, logo, os patinhos enjoarão de tudo e voltarão com suas vidinhas ao normal.

Donald acha boa a lógica, mas vê que ela sairá caro, pois manter em dose cavalar esse apoio faz com que ele adquira todos o produtos possíveis dessa franquia. Huguinho, Zezinho e Luisinho não entendem muito bem a mudança abrupta do tio, mas o fascínio é tanto que eles só querem mesmo é aproveitar. Por um momento, vemos Donald tão entretido com eles que temos a sensação de que o pato fora contagiado pela "Febre Porkomon". Mas não demora muito e obtemos o entendimento de que ele só estava dissimulando sua admiração a fim de tornar o plano mais eficaz e rápido possível. 

Uma boa trama que se encaixa bem na realidade do universo consumista do sistema capitalista o qual vivemos atualmente, também a feliz identificação com a realidade dos patinhos em suas características que os remetem às antigas animações curta-metragens onde eles gostavam mesmo era não dar sossego ao seu tio Donald. Podiam ter embelezado um pouco mais os monstrinhos a fim de proporcionar um pouco mais de identificação de algum Pokémon icônico. Os que apareceram ficaram tão descaracterizados que só quem é realmente fã poderá identificá-los. Porém, esse detalhe não tira em nada o brilhantismo do enredo. Até mesmo o tipo de desenho mais estilizado, algo comum nas produções italianas, neste caso, colaborou para proporcionar uma atmosfera meio psicótica e um tanto desarmoniosa ao enredo.

Essa publicação, a exemplo de várias outras da Disney, se alastrou por quase toda a Europa, pois o mercado por lá é muito grande e explorado. Além da Itália (o seu berço de produção) e do Brasil, ela foi publicada na Alemanha, Dinamarca, Espanha, Finlandia,Grécia, Holanda, Islândia, Noruega, Polônia e na Suécia.

Desenhos de Andrea Maccarini e roteiro de Carlo Gentina

Foi publicada pela primeira vez na Itália, em Topolino n° 2359, pela Panini Comics, em Fevereiro de 2001. No Brasil, foi publicada na coleção ESSENCIAL DISNEY - Volume 2 - DONALD E SEUS SOBRINHOS - pela Editora Abril, em Março de 2012.



Fonte de pesquisa: INDUCKS


Abraços a todos.

Fabiano Caldeira.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Peço educação e gentileza na troca de ideias. Obrigado!