quarta-feira, 23 de março de 2016

[Filme] Batman Vs Superman - A Origem da Justiça




Esta semana (mais precisamente, amanhã mesmo!) estreia em muitos cinemas brasileiros o filme "BATMAN  Vs SUPERMAN - A ORIGEM DA JUSTIÇA", um grande ícone aguardado por muitos fãs de histórias em quadrinhos dos dois super-heróis. Na verdade, a produção vem sendo aguardada por muitos que nem são tão afinados e entusiasmados pelo universo das HQs, então, diria que se trata do maior filme do gênero aguardado pelos amantes do cinema em geral. Especula-se ser viável a todas as idades. É claro que os jovens acima de 14 anos e adultos irão compreender melhor!

O elenco de peso conta com:

Ben Affleck - Bruce Wayne/ Batman

Henry Cavill - Clark Kent/ Superman

Jesse Eisenberg - Lex Lutor

Gal Gadot - Diana Prince/ Mulher Maravilha

Amy Adams - Lois Lane

Jeremy Irons - Alfred

A direção leva o nome de Jack Snyder, cuja curiosidade - eu vi no site do Adoro Cinema - é que ele esteve à frente do "SUPERMAN - O HOMEM DE AÇO", de 2013, e já sinaliza dois futuros filmes ainda envolvendo a DC. São eles: "MULHER MARAVILHA" e "LIGA DA JUSTICA - PARTE 1".

O que esperar desse filme? 

Sempre quando um bom ícone vai parar nas telonas, vejo muitos 'amigos meus das redes sociais, especialmente do Facebook', se expressando com louca euforia, um entusiasmo daqueles como quando um gay vê que tem chance com aquela homem bonito e, na hora "H", descobre que ele também é muito mais "gostooooooso" do que imaginava. Isso é compreensível, pois o próprio ambiente do cinema foi feito apropriadamente para nos transmitir a típica emoção de estarmos bastante satisfeitos. 

Há, também, o outro lado; aquele onde as pessoas já viram trailers, leram spoilers, várias imagens de impacto por aí e, por isso, acabam predominantemente estimadas por algo que nem conheceram ainda. Então, o filme começa, passa, passa e termina... e parece que ficou faltando algo. A pessoa se sente como se tivesse sido enganada pela publicidade e os relatos tão apaixonantes dos colegas. É como aquela sua amiga, bem gracinha, que vem e fala de como o cara com quem ela ficou é gostoso e tudo de bom. Daí, você - moça periguete que só! - vai ficar com esse mesmo sujeito e não tem esse encantamento, e pode até mesmo considerá-lo um tanto imbecil. rsrsrs...

Por isso, eu digo: ir ao cinema sem expectativa é a melhor tática. Não veja trailers, spoilers, impressões de quem já disse que viu por aí. Vá assistir sem conhecimento do que se trata. É o que recomendo. Você já sabe que tem o Superman, o Batman e a Mulher Maravilha. Quer saber mais? Vá assistir!


--------- >>>> Banco de Imagens <<<< -----------









domingo, 20 de março de 2016

[Filmes] Dois dramas que podem te fazer chorar de tanta emoção


Você, de vez em quando, gosta de se emocionar diante de algum filme? Eu gosto!

Pensando nisso, resolvi falar de boas ótimas produções cinematográficas:


CIDADE DOS ANJOS é uma produção dos anos 90, estrelada por Nicolas Cage e Meg Ryan. Ele é um anjo que vai buscar a alma de um paciente que desencarna nas mãos da doutora -l ele nota seu desespero e resolve conhecê-la melhor. À medida que ela vai se revelando, ele vai se apaixonando cada vez mais.

Vemos uma produção abordar de forma delicada que ceticismo não faz de ninguém um monstro. Uma pessoa pode não crer em Deus, anjos, hostes celestiais e, ainda assim, mostrar-se um ser humano bom, que se importa com o bem-estar de quem cruza seu caminho e dá o melhor de si em seu trabalho.

Há também um grande choque de realidade nesse conto-de-fadas. É bom para refletirmos que nem tudo na vida é como a gente quer. A música "In the Arms of the Angel (de Sarah McLachlan)" é a cereja do bolo.

Você pode saber mais a respeito no ADORO CINEMA
http://www.adorocinema.com/filmes/filme-17811/



O SEGREDO DE BROKEBACK MOUNTAIN é uma obra que ganhou o cinema após o ano 2000, mais precisamente por volta de 2006. É uma adaptação do livro homônimo. Eu não sabia, e fico me perguntando se essa literatura teria o poder de transmitir a mesma emoção.

O filme traz Jake Gyllenhaal e Heath Ledger como protagonistas. Jake interpreta um homossexual assumido que vê em seu parceiro de trabalho temporário a sua promessa de um grande amor. Entretanto, o "parça", interpretado por Ledger, é um enrustido, que se vangloria de ter atração por mulheres, ter se casado com uma e constituído família. Por ele, Jake se vê obrigado a trilhar  o mesmo caminho, mesmo não querendo, só para mostrar que ele era tão macho quanto sua "Claudete Hétera" e, por isso, merecia seu amor. Mas tudo o que o cara lhe dava eram migalhas.

Ainda temos o presente de ver Michelle Williams e Anne Hathaway, cada uma interpretando a esposa de um deles. A cara de Michelle, ao dar o flagrante na Claudete Hétera, é a cereja do bolo.

Saiba mais detalhes no ADORO CINEMA
http://www.adorocinema.com/filmes/filme-54989/

Ambos me emocionaram bastante. A carga de drama, o cuidado meticuloso com as interpretações, as cenas muito bem elaboradas fizeram toda a diferença. Se você já viu (e gostou), sabe muito bem do que estou falando. Os que ainda não conhecem, recomendo mente aberta - ambos são dramas, um, voltado a questões religiosas, e o outro, à homossexualidade, ou seja, é um filme gay. Ainda é preciso dizer isso em pleno ano de 2016... o filme tem cenas "fortes", pegação, mas não é um pornô. Costumo dizer que é um momento de testosterona.

Abraços a todos.

Fabiano Caldeira.



sexta-feira, 18 de março de 2016

[Meus Desenhos] AS BEBÊS GÊMEAS


Há várias formas de manifestarmos o que pensamos ou algo que faz parte de nós por algum motivo.

A arte, eu penso, é um dos caminhos que permite essa manifestação. É claro que nem tudo  o que se diz arte é válido. Tem muito vandalismo e muita abobrinha disfarçada de arte. Também existe aquela arte genuína que não agrada, o que é uma pena, porém, não deixa de ser arte. O que importa é que a arte esta aí para querer dizer: "podem amarrar meus punhos e pernas, podem me trancafiar num calabouço, mas não podem me impedir de pensar o que eu quero pensar."

O bom de "tirar onda" comigo mesmo é que evito as chatices de quem não entendeu a arte e ainda é mais burro de querer vir tirar satisfação - coisa bem típica de gente que diz que não dá bola para a Internet, mas não sai de dentro dela. Gente que diz que não gosta de "Youtubers", mas se torna um - ou seja, os hipócritas.

E quem, neste país, não é hipócrita? Eu mesmo sou um, assumidamente. Nada contra os enrustidos, desde que não venham torrar meu saco. Sejamos todos felizes, cada qual se manifestando à sua maneira que melhor lhe convier. Somo todos irmãos de pátria. Merecemos ser felizes.

Abraços a todos.

Fabiano Caldeira.








quinta-feira, 17 de março de 2016

[Meus Desenhos] Firmino e Paulo Redhondo


Enquanto culparmos o vizinho pela forma a qual ele leva a vida dele e não te agrada, vamos nos afundando cada vez mais nessa lama, todos juntos, enquanto aqueles que realmente deveriam ser cobrados e fazer algo pelo bem-estar coletivo simplesmente dão as costas, riem e fazem festa.

As pessoas precisam parar de pensar que o outro é culpado pelo país estar neste mar revolto em corrupção.

Coloca-se líderes para cuidar da nação, os quais são bem pagos, diga-se de passagem, para trabalharem e esquentarem suas cabeças e cadeiras a fim de proporcionar o que há de melhor à toda uma população. Desviar a atenção que deve ser dada a eles e culpar o seu próximo, que vive com tantas ou mais dificuldades as quais que você mesmo tem, não é nada inteligente.

Não se enganem! Eles estão unidos e de posse do desvio de milhões. As pessoas precisam se unir também em vez de julgar o outro.

Não se trata de ser este ou aquele partido político, mas, sim, uma espécie de cegueira coletiva.



terça-feira, 15 de março de 2016

[HQ] Bidu: de cabeça para baixo


Olá, pessoal! Compartilho com vocês essa historinha meio doida em que Bidu e Manfredo ficara de cabeça para baixo o tempo todo. Foram apenas três páginas, porém, bem curiosas. A arte da simplicidade que existia antigamente era louvável.

Como bem devem saber, ela foi publicada pela primeira vez na revista do Cebolinha n° 151, pela Editora Abril, em Julho de 1985, com o preço de Cr$ 2500 (dois mil e quinhentos cruzeiros) na capa. 

Abraço a todos, e até a próxima postagem!

Fabiano Caldeira.


------ >>> Banco de Imagens <<< ------





sexta-feira, 11 de março de 2016

[HQ] O Aniversário da Mamãe


"O ANIVERSÁRIO DA MAMÃE" é mais uma trama que disponibilizarei completa mais abaixo, publicada naquela revista, já tão conhecida por vocês, Cebolinha n° 151, de Julho de 1985, pela Editora Abril, com o preço de capa a Cr$ 2500 (dois mil e quinhentos cruzeiros - moeda vigente na época). Vale ressaltar que o título "Cebolinha" tem sido o único cujas características permanecem padronizadas desde os seus primórdios, nos anos 70 - até hoje a revista conta com 68 páginas, a mesma logomarca e a mania de colocar chamadas das histórias iniciais na capa. 

Nesta historinha, Dona Cebola (mãe do Cebolinha), faz aniversário. Curiosamente, o dia deve cair em um final de semana, pois o Sr. Cebola também aparece o tempo todo em casa e, junto com Cebolinha, dizem para a mãe ter um dia de descanso enquanto as tarefas domésticas vão sendo executadas por eles. Ela fica feliz, mas descobre logo, logo que essa "homenagem" acabou sendo uma ideia não tão boa assim. Você verá, leitor, que pai e filho acabam fazendo tudo errado. 

Pobre, Dona Cebola! Como é difícil ser a dona da casa!

Fica também a curiosidade do papel de carta do Cebolinha - uma estratégia de publicidade da Faber-Castell na época. Como podem ver, são duas folhas iguais, sem nada no verso, obviamente, para que a criança realmente pudesse destacá-las sem medo de prejudicar a revista. Para facilitar, elas foram acondicionadas bem no meio da revista, facilitando a retirada dos grampos, supostamente, sem causar maiores danos.

Abraços a todos.

Fabiano Caldeira.


---------- >>> Banco de Imagens <<< ----------






 


segunda-feira, 7 de março de 2016

[Livro] THEUS - DO FOGO À BUSCA DE SI MESMO

Sabe aquelas coisas que acontecem na vida da gente, que nos deixam tão felizes, satisfeitos, que temos vontade de propagar aos quatro cantos do mundo? Pois é! Estou passando por esse acontecimento. A razão é este livro aqui:


THEUS - DO FOGO À BUSCA DE SI MESMO, tem autoria do psicólogo Fabrício Viana, que já é escritor há certo tempo e possui outras obras na bagagem. Porém, esta me chamou a atenção quando vi a divulgação do romance em alusão à cura gay tão apregoada pelos fanáticos religiosos. Fiquei curioso, uma vez que experimentei vários segmentos religiosos em minha vida. 

O tenho a dizer a respeito desta trama, até o atual momento em que me encontro nos instantes finais, é que muito me empolga a genialidade encontrada - e tão bem amarrada - na simplicidade do texto o qual, simplesmente, foi se desabrochando como uma flor diante dos meus olhos, surpreendendo-me passo a passo e de forma tão positiva, que eu me rendi à tentação de vir aqui e fazer esta postagem a fim de expressar essa minha euforia a vocês.

Eu tinha planejado fazer um vídeo após a leitura completa, porém, após descobrir algo genial no desenrolar da trama, que tem a ver com números, me dei ao direito de não me segurar mais. Por hora, já fiquem avisados de que se trata de uma leitura muito boa. Eu a recomendo a todos aqueles que gostam de ler romances em geral, principalmente aos que não tem preconceitos com o fator "gay".

E aquela numeração, eu repito, é algo realmente genial, que me caiu como um bálsamo diante das circunstâncias da trama. 

Fico muito contente pelo país ter pessoas de mente tão criativa, com tanto conteúdo bom a oferecer à população que anda carente de entretenimento de qualidade. Sinto falta de mais apoio para vir à luz mais obras assim. Quem sabe, já esteja acontecendo... Espero que sim!

THEUS - DO FOGO À BUSCA DE SI MESMO só pode ser encontrado no site oficial da Editora Orgástica. Entretanto, há a versão digital à venda na AMAZON. Você tem o aplicativo Kindle? Então, poderá comprá-la direto no site e ler tranquilamente através dele. Eu já garanti o meu. Também pretendo comparar o livro físico para presentear uma pessoa querida.

Os contatos  para facilitar o acesso estão nos respectivos links. Quero que vocês tenham este mesmo sentimento gostoso que toma de mim neste momento.

Editora Orgástica

O livro à venda na Amazon

O livro em divulgação no Facebook


Abraços a todos. Tenham uma ótima semana!

Fabiano Caldeira.


sexta-feira, 4 de março de 2016

[Texto] Tempos de Euforia



Não quero mais falar em desamor
E esperar ser compreendido por aquilo que eu sou
Não quero aplausos e nem gritos de vencedor
Aonde está marcada a linha de chegada?
Alguém me avisou que eu estava em uma competição?
Onde ser inteligente é rudimentar e agressivo
Prefiro esconder minhas armas e abrir um bom livro
A existencialidade está na variedade
Quem foi que espalhou o conceito de que temos que ser todos iguais?
Não aceito que pleiteiem minha individualidade
Individualidade em pró da coletividade
Coletividade em pró da representatividade
Representatividade em pró da legitimidade
Somos frutos da natureza pensante
O vento que flui constante
A ação do tempo mutante
Simbolizamos a evolução
Que traz a equação, a somatização, a materialização
O desejo em ação
A construção ou a demolição
A autenticidade tem um valor alto e poucos tem a coragem de pagar
É como financiar um apartamento à beira-mar e não ter comida a se fartar
É preciso coragem para saber usar as armas que conquistamos
E para usar sem saber, é melhor que as guardamos
Seja bom naquilo que lhe desperta, que lhe envolve, que lhe interessa
Vamos deixar os outros pontos a quem se manifesta, sabe e almeja
O plano estratégico necessita de conhecimento
O universo está a favor de quem foca em seu próprio discernimento
Juntos somos muitos
E muito é quantidade
E quantidade não pode ser igualdade
A igualdade não representa a diversidade
Equidade! Equidade!
Temos casa, fazenda e apê
Água, terra, vento e areia
O mundo dos elementos diferentes
Caminha e evolui com a importância de todos eles
Evoluir é preciso
Mudar é fundamental
O peixe apanha a isca de pão
Mas essa não é sua única alimentação
------------------------------------------------
Tempos de Euforia 
Autor: Fabiano Caldeira