segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

[Música] David Bowie morreu de câncer, ontem. O que resta a nós?

Imagem do filme "Labirinto"


É com muita surpresa que hoje volto a postar aqui no SOCIALIZANDO, após uns dias de descanso, a morte de David Bowie. 

Há vários veículos de informação internet afora noticiando o fato. Um deles é o portal G1, da Rede Globo. 

Na Wikipedia há uma boa página aos interessados em saber cada passo da trajetória do artista.

Apesar de não ser fã do cantor, sinto pela perda. Vivemos em um cenário artístico onde grandes ícones se vão, e dificilmente estes lugares vão sendo ocupados por outros simplesmente porque não há nenhum outro a ocupar. Este cenário vem se tornando preocupante há vários anos, com a partida de vários atores e cantores que muito contribuíram para os momentos de nossa geração, a de nossos pais e até a de nossos avôs. 

Não foi a mesma coisa que perder John Lennon, Elvis Presley, Marilyn Monroe. Pois, com  o tempo, vários outros grandes artistas surgiram. 

O que temos para hoje, em nossos tempos contemporâneos, é saudade. Saudade de arte boa - aquela que atravessa anos, até uma existência inteira. 

Tudo bem se você pensa que eu exagero. Mas diga aí: você acha mesmo que Anitta, Walesca Popozuda e Naldo são artistas que teremos orgulho de lembrar daqui há uns trinta anos? Tenho certeza que sua resposta será "NÃO!" 

Você pode até ser benevolente em dizer que todos os nomes do cenário artístico são importantes. Cada um merece seu espaço. "Ok!", concordo contigo NESSE PONTO. Entretanto, eles estão longe ainda de possuírem um acervo memorável justamente porque são fracos. Seus trabalhos pegam fogo e causam grande rebuliço geral, mas, depois de algum tempo, ninguém mais quer ouvir falar.

A indústria precisa voltar a investir em arte duradoura. Não vou aqui menosprezar o trabalho desses "sóis de verão". Eles têm sim, sua importância. Por que não? Mas não posso mergulhar na ignorância e fingir que está tudo bem em vivermos exclusivamente de modismo enquanto o cenário mais sensível e profundo de matéria prima está se tornando algo raro de se encontrar.

David Bowie é mais um artista que foi embora levando consigo muito mais do que talento para músicas marcantes. O mundo, com sua partida, está ainda mais comum, descartável e superficial.

Fabiano Caldeira.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Peço educação e gentileza na troca de ideias. Obrigado!