quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Minha Retrospectiva - Filme, TV, Quadrinhos, Redes Sociais, Livros


Hoje, quero fazer um breve balanço de alguns fatos que marcaram meu ano. 

Filme - Fiz várias postagens aqui, a respeito de filmes focados em ataques de zumbis, mortos vivos, essas criaturas que não estão muito vivas e nem completamente mortas. Todos eles, eu penso, foram inseridos em postagens chamadas de "INDICAÇÃO ZUMBI". Algumas abriam com uma arte de algum talento independente das HQs. Outras traziam alguma imagem do filme a ser comentado. 

TV - Tivemos muitas perdas no cenário da televisão, como acontece todo ano, e uma delas foi a Marília Pera. Estamos perdendo grandes atrizes. "OS DEZ MANDAMENTOS" foram um bálsamo no quesito teledramaturgia. Já Xuxa, decepção. 

Quadrinhos - Fechei blogues, abri este e conheci um grande número de pessoas interessantes que dão um duro danado para produzirem seus próprios quadrinhos. Percebi que essa luta realmente é muito solitária, individual e pode ser até amarga, de certa forma, devido ao artista nem sempre conseguir o reconhecimento almejado. Preciso registrar um agradecimento muito especial ao Eberton Ferreira e ao Fábio Gesse, pela atenção e carinho ao longo de todo o ano. Vocês são muito especiais!

Da linha de produção mais conhecida pelas granes editoras, DC e Marvel sem muita história para contar. Sobrevivendo à custa de material antigo sendo "re-re-republicado".  A Valiant não aguentou o ostracismo.  A Turma da Mônica resetou sua numeração após chegar ao número 100 pela Panini, e esteve muito bem representada pelos especiais acerca das comemorações de seu criador, Mauricio de Sousa, e as edições do selo "GRAPHIC NOVEL". Disney trouxe ótimas aventuras tanto em seu material mensal inédito quanto nas republicações. Vieram também mais quatro especiais em formato luxo, sendo que já tinham lançado dois há certo tempo. Pixel revelou bons encadernados de personagens diversos, cultuados por leitores com mais de 30 anos. 

Redes Sociais -  Criaram a SOCIAL COMICS, um belo exemplo onde o leitor faz uma assinatura e escolhe quais quadrinhos deseja ler. Algo bem no estilo NETFLIX. Além disso, os sistemas de financiamentos de produções independentes encontraram seu público e começaram a se multiplicar agora no último trimestre. Há diferenças nas propostas. É preciso saber direitinho o que o autor procura e qual o melhor sistema para ele se cadastrar a fim de obter um financiamento do seu projeto autoral. Já o Facebook, este ano, sem novidades, jogando uns contra outros da mesma forma que aconteceu ano passado. Twitter foi menos comentado. Whatsapp foi o grande "BOOM" do ano.

Livros - o hábito de comprar livros tem voltado através de eventos curiosos como o modismo das edições especiais para colorir, adaptações de histórias como "CINQUENTA TONS DE CINZA" para o cinema e a literatura bem coloquial de novos escritores brasileiros que bebem dessa característica encontrada em Luis Fernando Verissimo, que é a de contar uma ficção em primeira pessoa e/ou de se expressar de forma tão simples e natural que parecemos estar diante de uma conversa. Acredite! Leituras assim te prendem! Que bom que o país tem se rendido a esse nicho que já existia há décadas, porém, só conhecíamos através de obras estrangeiras. 

O que vem por aí em 2016, só vivendo o ano pra saber.

Abraços a todos.

Fabiano Caldeira.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Peço educação e gentileza na troca de ideias. Obrigado!