domingo, 1 de novembro de 2015

[HQ] A lua não me traiu, mas anuncio cortes de algumas HQs


Depois de vídeos e postagens sobre muitos títulos de HQs, eis que esta postagem abre o queridíssimo mês de Novembro trazendo uma reflexão. Sei da importância de sermos ecléticos e não nos prendermos a apenas um tipo de leitura, mas chega um ponto em nossas vidas que - acredito eu, no meu singelo fragmento racional psíquico - acabamos sendo mais seletivos àquilo que vem para nosso lar. Achei até que tal fato aconteceria bem mais tarde e, talvez pela crise econômica que aí está, agora já me vejo apto a descartar alguns tipos.



Lamentavelmente já vou informando que devo cortar as edições de super-heróis. Esse núcleo não me interessou muito. Claro que eventualmente posso ler alguma coisa. Aliás, venho comprando a mensal do Homem-Aranha há três meses, quando a numeração voltou ao seu início e estou gostando. Mas, o que quero dizer é que não tenho mais a curiosidade em procurar conhecer esses quadrinhos. Já vi o suficiente.

Os quadrinhos nacionais independentes possuem todo o meu carinho. Alguns me cativaram muito mais do que outros e eu sinceramente não sei que explicação dar a isso. Muita gente vem me pedir para comprar seus quadrinhos independentes e eu não sou o tipo de pessoa que faz isso só pra agradar, pois, quando estou batalhando para ganhar o meu dinheiro suado, poucos são os que vêm aqui me dar aquela mãozinha. Então eu me sinto na liberdade de não deixar me influenciar por amizades e queridismos. Muitas vezes até admiro bastante um material autoral, mas a pouca renda também não me permite ao luxo - e nem posso dizer que deviam vender mais barato, pois eu mesmo sei na prática como é difícil fazer toda uma trama sozinho, então, sobre o preço, eu vejo que é mais do que justo. Acho importante soltar essa comunicação a respeito porque muitos podem pensar que não ligo para os trabalhos deles. E não é essa a questão. Tem muita gente boa, que realmente me cativou com sua arte.

Meu hobby de HQs aconteceu pelos momentos em que lia algo de bobeira e acabava me divertindo - e quero que continue exatamente assim: uma leitura descompromissada de fácil entendimento, que posso fazer em um instante que me sento no sofá ou até mesmo no banheiro. Quando desejo entrar em um mundo que exige maior concentração para entendimento da trama, então eu eu pego um livro. Não tem coisa mais gostosa para as nossas emoções do que um livro para a gente mergulhar em uma trama bem mais profunda. 


Sei que esta postagem pode não agradar a muita gente. Peço até desculpas por isso: desculpe pelo meu tempo estar ficando cada vez mais curto, meu dinheiro ser escasso e minha predileção ser esta. Mas também tenho certeza que há público para todos o segmentos de HQs. E que bom que seja assim. Claro que ainda pretendo conhecer materiais como Tex e Júlia, por exemplo, mas tudo a seu tempo, sem aquela neurose de cuidar para não perder uma edição. 

Abraços a todos, boas leituras e cada vez mais continuando com meu blogue e página no Facebook.

Eu amo isto que faço, e amo quando vejo a presença de vocês por aqui.

Até mais, pessoal!


2 comentários:

  1. Oi Fabiano! Entendo perfeitamente esse seu posicionamento atual. Há pouco tempo também fiz isso, e ainda estou fazendo. Hoje minhas leituras preferidas são da Bonelli que conheci recentemente. Super-heróis estou afastado faz tempo. Alguns como Disney e Turma da Mônica creio que não me afastarei, mas de tempos em tempos diminui o volume de leitura deles. Selecionei o que comprar em banca pela metade do que ainda gosto, só vou comprar o que me interessar 100%. Nesse hobby de ler e colecionar quadrinhos, o que vale mesmo é o prazer que sentimos, quando começa a incomodar é porque não estamos no caminho certo. Com certeza isso acontece com muitas pessoas, mas cada um é cada um, e isso é uma decisão bem pessoal. Gosto dessas postagens reflexivas, às vezes não comento, mas sempre aprecio demais. Até amigo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom, meu amigo!
      Falou tudo - é algo bem pessoal.
      Nunca fui de comprar muito. Na verdade, grande parte
      dessas mil revistas eu só tenho porque fui ganhando de pessoas.
      Devo ter comprado mesmo umas 300.
      Por isso que muitas vezes eu não hesito em dar,
      pois já ganhei muito das pessoas e não custa passar esse gesto adiante.

      Um abração!

      Excluir

Peço educação e gentileza na troca de ideias. Obrigado!