sexta-feira, 30 de outubro de 2015

[Filme] INDICAÇÃO ZUMBI - PARTE V - DIA DOS MORTOS

Olá, pessoal! Estamos em véspera de Halloween, época perfeita para assistirmos aos nossos filmes que tanto nos divertem nos fazendo sentir medo, repulsa ou mesmo vontade de rir. Etá começando mais um....




DIA DOS MORTOS - Em 1985 (chegando no Brasil, claro, muito tempo depois, como acontecia naquela época onde tínhamos apenas a TV aberta e filmes em fitas que rodavam em videocassete, esse grande clássico é uma criação do maior mestre na área: George A. Romero. Quando listei sua obra anterior - A NOITE DOS MORTOS VIVOS - logo na primeira postagem do "INDICAÇÃO ZUMBI", não coloquei um link para que o leitor daqui pudesse, se quisesse, saber mais sobre ele. Na verdade, venho já algum tempo relutando em ficar colocando links de biografias e vídeos de terceiros uma vez que cabe ao interessado pegar e pesquisar na Internet. O objetivo tem sido postagens com minhas opiniões de forma mais prática e precisa. Mas, dez vez em quando, é bom abrir uma exceção. Por isso, deixo um link aos interessados em conhecer mais de George A. Romero. Através dessa página, verão que ele ainda está na ativa e terão acesso a todo um mar de informações acerca de suas obras as quais tenho certeza de que vocês já ouviram e até viram algumas delas em determinada época de suas vidas.

Por que ver esse filme? - Se mesmo de posse da informação de quem idealizou, roteirizou e dirigiu a trama você ainda precisa de mais um motivo para ver "DIA DOS MORTOS", o que te falo é que ele representa bem o que era uma produção antiga do gênero horror/terror feita com baixo orçamento, porém, bastante competência e criatividade. Antigamente era assim, todos os envolvidos na produção de filmes desse segmento tinham que "se virar nos 30" para colocar suas ideias em prática. Claro que nem sempre se conseguia o efeito desejado, pois ate mesmo grandes nomes como "A HORA DO PESADELO", por exemplo, tinham que lidar com essa grande falta de recursos, uma vez que a indústria do cinema os considerava como lixo. Então, algumas cenas envolvendo sangue, estripamento, mutilações e mortes macabras infelizmente contavam com um resultado final não muito desejado, entretanto, conseguindo grande compreensão dos fãs e até se tornando algo divertido de ver. Esta é mais uma produção dessa época, dessa leva de financiamentos que não permitiam muitos investimentos. Os recursos tecnológicos, então, esqueçam! Tecnologia por meio da informática é algo do século 21, meus caros! E muito me espanta que hoje em dia - mesmo com tantos programas especializados em efeitos e edições - não se consegue conquistar o telespectador tanto quanto antes. Por que será?

Agora, uma breve sinopse antes de terminar a postagem: o filme trata de um acontecimento de origem biológica onde os mortos vivos vêm à tona em massa, ou seja, em grande número e buscam - na verdade, necessitam - alimentarem-se dos seres vivos, uma vez que a carne fresca, saudável e cheia de vida constitui elementos orgânicos essenciais para eles continuarem perambulando por aí. Vemos de onde saiu, então, a máxima que hoje vemos em seriados de peso como "THE WALKING DEAD", de que os zumbis precisam se alimentar das pessoas vivas. A diferença é que Romero ofereceu, desta vez, um panorama mais restrito ao pessoal não infectado. A trama se passa com uma equipe especializada que se encontra refugiada no subterrâneo. Parte dela está envolvida em experimentos científicos usando os próprios cadáveres. Logicamente que algo uma hora daria errado e agora restava àquele pessoal lidar com a situação de estarem com recursos limitados em um lugar pré-delimitado de ir e vir, com uma horda cada vez mais numerosa de mortos vivos dominando tudo lá em cima e prestes a acabar com todos eles lá embaixo. Uma carga mais séria foi empregada à trama que não tem compromisso nenhum em fazer com que soltemos gargalhadas aos montes e nem nos oferecer zumbis carismáticos. Claro que, em se tratando de uma produção classificada como "trash", é impossível não achar engraçado alguns momentos. Mas o foco, penso eu, foi uma pincelada de reflexão social, uma vez que a própria equipe começa a gerar conflitos e mais conflitos entre si, de acordo com as diferenças de cada um. 

Entre experimentos e desastres, quem sai ganhando somos nós com tal espetáculo de horrores o qual se desembrulha bem diante de nossos olhos.



O "INDICAÇÃO ZUMBI" de hoje abriu com a arte do Lucas Gesse, um cara fera em histórias em quadrinhos, com muita imaginação e criatividade que combinam bem com sua pouca idade, afinal, ele é bem jovem, cheio de vida, ideias e metas para se qualificar nessa área. Seus trabalhos são produzidos e comercializados pelo Estúdio Armon - o site que tem sido um verdadeiro portal para divulgação dos talentos independentes. 

Lucas Gesse esteve presente no Haru Anime 2015 - um evento bem específico do gênero "mangá comics"  que este ano aconteceu no dia 12 de Outubro em Presidente Prudente-SP e contou com várias atrações além da exposição (concurso Miss e Mister Otaku, animekê, anime quizz, concurso cosplay, concurso cospobre, concurso  de desenho de mangá etc.). Só tenho a agradecer pela sua arte enviada pra cá, para ilustrar a abertura de mais esta postagem do "INDICAÇÃO ZUMBI". Valeu, cara! Muto obrigado mesmo! Muito sucesso em seus empreendimentos!


ESTÚDIO ARMON - o blogue

ESTÚDIO ARMON - Facebook

ESTÚDIO ARMON - YouTube



2 comentários:

Peço educação e gentileza na troca de ideias. Obrigado!