segunda-feira, 6 de abril de 2015

[TV] "Gostei" e "Não Gostei" sobre vários programas


Serei bem objetivo em compartilhar algumas coisas sobre TV. Como são muitos assuntos, vou usar termos como "gostei" e "não gostei" para facilitar dinamizar a postagem.


Não gostei - Babilônia - A TV fica ligada onde trabalho vendendo meu cachorro-quente, mas, não tenho gostado nada do que tenho visto nessa novela até aqui. Acho ela muito "fake". Pessoas que moram no Morro da Babilônia, em casas que não possuem uma lâmpada no centro do cômodo. Todas elas possuem apenas penas luzes direcionadas, colocadas em alguma lateral da parede. Gente rica acordando toda maquiada e de cabelo arrumado.... e gente pobre também. Todo mundo no morro é feliz, de bem com a vida. Bom... não quero falar mais a respeito, mas eis um pouco dos motivos que essa novela não me pegou. Sem falar que os atores vivem com a cara cheia de botox. Estejam sorrindo ou chorando, não franzem a testa, não enrugam a cara, não possuem expressão nenhuma. "Fake a lot"

Não gostei - Bem Estar - O programa vem se tornando um tipo de "reality" do gordinho comilão. hoje chegaram ao cúmulo de filmarem a visita que o apresentador Fernando fez à sua família. Um almoço regado a comida caseira de mãe e um bom churrasco foi feito. E não é que a câmera ficou focada o tempo todo, contando quantas peças de cada comida ele estava comendo? Que decadência da emissora! Ele certamente consentiu que isso fosse realizado, mas, espere aí! Isso é uma tremenda falta de educação: contar que o cara comeu cerca de não sei quantos pedaços de frango, quantas colheres de arroz ele comeu durante umas tantas horas, sem parar. E comentários do tipo: "Já se passaram duas horas e ele ainda está comendo!" -- ora! vai te catar! A Globo já foi melhor de programa.

Não gostei - Mais você - Ana Maria Braga cheia de dedos diante de Fernando, participante que deixou o BBB15 ontem à noite. E ele? Mais constrangido ainda diante da amostra de vários momentos dele na casa e da cobrança que a produção estava fazendo para que ele desse satisfações de seus atos. Aliás, esse programa matinal já exibiu momentos assim várias vezes com outros participantes que foram saindo do "reality". Na boa, não tem mais pauta? Acabem com o programa! Não o transformem em uma central de barracos e constrangimentos. É chato para os apresentadores e também para o convidado. Dias atrás, Cissa Guimarães estava cobrindo as férias de Ana Maria e deu para perceber que ela estava visivelmente constrangida de se ver obrigada a estar ali, tendo que expor o convidado a tal situação. Acho que Ana Maria merecia mais. Muito mais!

Não gostei - Xuxa na record - Foi tanto bafafá em sua ida para a Record, mas até agora nada vi de concreto a não ser uma assinatura contratual. Muito foi prometido, mas, sinceramente, não estou gostando nada do rumo que as coisas estão tomando. A Record insiste vincular a imagem de Xuxa ao passado já desgastado de rainha dos baixinhos, quando, na verdade, deveria dar uma oportunidade de deixá-la recomeçar oferecendo uma porta a um caminho totalmente novo. Além de mostrar que a emissora do bispo na verdade, tieta e inveja a programação da Globo, parece que  tal inovação e evolução de Xuxa parece ser só coisa pra gringo ver.

Gostei - Clarêncio, o otimista - Descobri esse desenho animado por acaso no Cartoon Network. O personagem tem a maior cara de bobo e seu comportamento realça bastante isso com um toque de peraltice. Os desenhos são propositalmente simples, pois há jogos de luz e sombra quando o momento pede, mas normalmente não é necessário. É bom ver que nem tudo que é infantil, hoje em dia, tem que ter altas noções de sombra, luz, anatomia e estética. Também é bom ver que o desenho comum vem resistindo à tecnologia gráfica computadorizada de animação como, por exemplo, os pinguins de Madagascar, Kung Fu Panda e outros do gênero.

Gostei - Gravity Falls - Desenhos da Disney que não têm cara de Disney. Esse não é o primeiro com essa característica, mas posso dizer que é o mais simpático dessa leva contemporânea Uma pena que os horários mudam constantemente e quase não ando podendo acompanhar. Mas deixo a dica de um bom desenho atual com turminha de gente pequena interagindo com adultos no melhor estilo familiar. 

Gostei - Amor Veríssimo - Trata-se de episódios que apresentam sempre uma circunstância que visa focar uma espécie de forma de amar. Não necessariamente insistem na velha fórmula de "como você deve viver bem em um relacionamento". Os atores são os mesmos, mas os personagens mudam, pois a história é sempre diferente. Achei bacana essa característica. Não força para dar lições de moral, mas apresenta alguns olhares sobre determinados acontecimentos. A trama simplesmente vai se desenrolando e deixando que o telespectador é que pense a respeito (ou não). O ator Pedro Monteiro me lembra o Chaves, não sei porquê. Uma pena que tenha poucos episódios, apenas 13.

Gostei - Questão de Família - Uma série protagonizada por Edu Moscovis na pele de um juiz da vara da família, deixando-nos perceber que seu passado de abandono pela mãe está sempre presente no íntimo de seu ser. Os episódios são um tanto melancólicos, o que não é recomendado a quem gosta de dinamismo e ação. Mas acaba sendo interessante o conteúdo apresentado, que nos dá uma certa ideia do sistema judiciário e nosso "esquema" de leis e decretos. Apesar do GNT ser uma extensão forte da Globo, é muito bom ver o ator fora daquele engessamento do canal aberto. Uma pena que também conta com apenas 13 episódios, mas, por outro lado, é bom também, pois assisti apenas a três e, com isso, dá fôlego para procurar assistir os outros.

Gostei ou não gostei [indecisão] - The Taste Brasil - Vi apenas um episódio ontem, enquanto fazia meus desenhos, e simplesmente há momentos legais no programa de competição de venda de comida em trailers na rua. Mas também há coisas que não curti nada. Por exemplo, há um cara que formou sua turma de competidores e ele a todo momento tem uma comportamento intimidador e, às vezes, mesmo sem um palavrão, seu próprio jeito "machão e mandão" é indesejável. Acho desnecessário. O ponto alto, na minha opinião, esteve na hora da venda das refeições. Nem tudo sai maravilhosamente como planejado - às vezes é preciso improvisar. Às vezes dá certo e, outras, não. Um retrato mais real do que os profissionais dessa atividade acabam enfrentando no dia a dia, sem muito floreio nem disfarces porque estão na TV. Acho que preciso assistir a mais episódios para saber se vou gostar ou não.


É isso, pessoal! Faz tempo que queria compartilhar o que ando vendo na TV. Por outro lado, não queria postagens enormes sobre cada assunto desses. A ideia de condensar cada programa é algo que me agrada e talvez farei mais vezes, até conseguir mesmo ser bem mais objetivo a ponto de fazer uma postagem sobre um só assunto sem escrever demais. Algumas imagens que ilustram são apenas de divulgação das atrações e podem ser vistas em seus respectivos canais de origem como GNT, Cartoon Network, Disney Channel, por exemplo. 

Abraços. Tudo de bom!









4 comentários:

  1. Esse "Amor Veríssimo" deve ter seus roteiros baseados em contos/crônicas de Luis Fernando Veríssimo. Daí, talvez, seja a razão de você ter gostado. Dificilmente Veríssimo escreve merda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OI, Kleiton! Como não pesquisei na internet do que se trata, arrisco a dizer que você pode estar certo. Pode ser uma adaptação mesmo de algumas crônicas do autor literário. Provavelmente você está certo. Abraços.

      Excluir
  2. Ou seja, programas da TV aberta, sobretudo os da Globo uma merda e os da TV fechada melhores. Como já era de se esperar. A TV aberta tá uma decadência cada vez maior. Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim. Infelizmente só falei dos programas da Globo porque os outros são piores ainda e nem me dou ao trabalho de assistir. Além disso, como a TV fica ligada no meu trabalho e lá não tem sinal de Tv fechada (só dentro de casa eu tenho), automaticamente, fica na Globo. Já até tentei deixar em outros canais, mas o cliente acaba pedindo pra mudar para a Globo. Na verdade, estou quase a ponto de retirar a única mesa que ainda resta para alguém chegar e se sentar, e mandar os clientes pra "PQP", não aguento mais ficar ouvindo conversa esquisita de gente que vai lá comer um lanche e fica quase uma hora conversando merda, falando coisas odiosas, em matar, roubar, usar drogas e coisas assim... Minha cabeça já não dá mais pra essas coisas. Dia desses tive que expulsar o rapaz que estava usando a mesa para fazer o tal do baseado. Estou pensando seriamente em retirar a mesa e os bancos e fazer os lanches apenas para as pessoas levarem pra casa.

      Abraços.

      .

      Excluir

Peço educação e gentileza na troca de ideias. Obrigado!