segunda-feira, 30 de março de 2015

[TV] Ahhh, essa mídia bandida! Cada vez mais mercenária e irresponsável!

Cada vez mais, eu ando com menos vontade de acompanhar noticiários na TV e seus respectivos programas medíocres que se dizem  jornalísticos. Venho percebendo que não há real cunho informativos nas matérias e a qualidade vem deixando a desejar ano após ano. Um bom exemplo foi o Fantástico ter exibido por duas semanas consecutivas a reportagem sobre os carimbadores transmissores do HIV, o vírus da AIDS. O mais repugnante foi que ficou claro que eles não conseguiram arrumar os carimbadores e então, como tinham que fazer a pauta, resolveram que os "barebackers" podiam se prestar a esses papel. O resultado foi uma falta de informação tremenda e o sensacionalismo equivocado de que o homossexual agora volta a ser um perigo à sociedade. Achei o fim da picada! 

Ainda me lembro dos depoimentos das supostas vítimas onde ficou nítido que elas mesmas nunca se preocuparam em usar o preservativo nas relações que quiseram ter. Óbvio, né? Preservativo é ruim, tira um pouco da sensibilidade e comodidade na hora de fazer sexo e, principalmente num sexo oral, imagine fazer um chupeta no amigo e depois ficar com a boca toda lambrecada de óleo lubrificante por dentro. E mesmo escovando uma, duas e até três vezes, o gosto ainda permanece. Não vamos ser hipócritas. Ninguém gosta de sentir esse tipo de coisa. Os que usam o preservativo, assim o fazem na hora de comer. E devem usar mesmo! Agora, se viu que o parceiro ou a parceira não se prontificou a pegar o preservativo, tenha a iniciativa você mesmo! Mas as pessoas não querem. Na verdade, elas querem que os soropositivos andem com uma plaquinha no pescoço, identificando-se como tal.  Assim, ficaria bem mais fácil não pensar em prevenção. Era só excluir aquele identificado ali, e pronto! Vale lembrar que muitas dessas vítimas de infecção por doenças sexualmente transmissíveis normalmente possuem o hábito de rejeitar a pessoa que procura fazer sexo seguro. Elas não querem. Preferem correr o risco de sentir carne com carne. Principalmente se o cara tem lá suas "vantagens", se é que me entendem. Isso não tem nada a ver com os carimbadores transmissores do HIV. Isso, na verdade, são atitudes inconsequentes que a própria pessoa infectada procurou pra si. 

Os carimbadores são pessoas que não querem que ninguém saiba que elas que possuem o vírus. Muitos simplesmente não tomam os remédios, portanto, os vírus vão se multiplicando em seus organismo. Alguns tomam os remédios, porém, não conseguem "zerar" a carga viral no organismo, então, ficam revoltados. 

Se você teve uma relação sem preservativo com outra pessoa (por favor, NÃO façam isso!), saiba que há vários pontos de atendimentos do SUS, país afora, que estão preparados e ordenados a lhe receber o quanto antes, até cerca 72 horas após a relação ter acontecido, a fim de iniciar um procedimento que se chama "PROFILAXIA PÓS-EXPOSIÇÃO", que nada mais é do que um recurso que lhe permite iniciar a ingestão de determinados remédios que vão impedir que o HIV se instale e se multiplique em seu organismo. É claro que trata-se de algo a médio prazo, pois a pessoa vai ter que seguir à risca as recomendações médicas para a ingestão desses medicamentos, que deve ser contínua, sem interrupções nem brincadeiras, por algumas semanas. Feito isso - com a devida precaução e seriedade - a possibilidade da pessoa desenvolver a infecção pelo vírus HIV será quase nula - tão "quase" quanto a possibilidade de ser infectado por uma pessoa que toma os antirretrovirais, tem carga viral zerada e nenhuma doença oportunista há anos. Isso o Fantástico devia ter informado, mas não fez.

Tomem cuidado com quem vocês saem para se divertir, pois o carimbador transmissor do HIV - e demais outras doenças sexualmente transmissíveis - não tem rosto. Pode ser qualquer pessoa: homem, mulher, heterossexual, bissexual, homossexual, pansexual.... enfim.... ter a iniciativa de encapar o brinquedo antes de usá-lo para comer gostoso pode ser o diferencial determinante do futuro de sua vida. Se viu que a outra pessoa não pegou o preservativo, PEGUE VOCÊ MESMO E USE! Ninguém vai meter uma bala na tua cabeça, ninguém vai te estrangular ou te encher de socos por querer uma relação sexual protegida. No máximo, o que pode acontecer é você, de repente, ser rejeitado. E aí, meu amigo: ajoelhe-se e dê Graças a Deus!

Ah, mas eu vou ter que "brincar" com a camisinha na boca? Eis um tabu que os infectologistas não falam em público, mas torna-se muito comum dentro do consultório, apenas para seu paciente (e como eles negam que fazem isso! mas fazem!) "Não precisa! Nesse caso, não! Mas, há várias doenças sexualmente transmissíveis por aí, que podem sim ser transmitidas por uma simples preliminar. Portanto, fica o bom senso de não sair por aí metendo a boca em qualquer pessoa."
A mídia agora está com o terrorismo de dizer que o sexo oral desprotegido agora causa câncer de laringe. É a nova onda do terror que a TV e demais meios ordinários de comunicação estão espalhando. Pelo sim e pelo não, por favor, não sejam doidos de beber secreções do corpo alheio, seja ela esperma, corrimento o qualquer outro líquido que seja expelido pelo órgão genital ou regiões próximas. Tenha um pouco de juízo na sua brincadeira! Não engula nada que venha do corpo do outro! Jogue fora!

Um assunto que não tem nada a ver com sexo, mas também diz respeito à saúde...

Eu, com meus 102 kilos e pouco mais de 1,82, não tenho colesterol, diabetes, pressão alta, taquicardia, Graças a Deus! Não deixo de comer ou beber nada que quero. Felizmente, tenho o hábito de comer comida de verdade desde criança. O fato de minha mãe caprichar no óleo e no sal - e eu ter crescido com essa comida assim - talvez possa ser um fator determinante, mas o fato é que não gosto de me preocupar com essas coisas que envolvem a alimentação. A mídia sempre vem com novas "descobertas" a respeito de como ter uma vida mais saudável. Algumas matérias que informam as vitaminas e minerais dos alimentos são boas de fato. Já outras, que visam apenas dizer: "não seja gordo!", me cansam a beleza! 

Essa história de que a pessoa vai viver cem anos comendo cenoura crua, alface sem tempero e ovo cozinho na água sem sal.... gente!... quem vive assim, já morreu e não sabe!!! Meu companheiro tem uma tia avó que está com 106 anos. É verdade que ela já está nos deixando, mas viveu 106 anos e sempre comeu e bebeu o que teve vontade. Inclusive, sua criação foi regada a alimentação nadando na gordura de porco, tanto no processo de fazer o alimento para levar à mesa quanto para guardá-lo em conserva, já que ela era do tempo que não se tinha refrigerador em casa. Ela também comia ovo crú com sal no café da manhã e outras coisas mais que a mídia abomina hoje, fazendo a gente assimilar a ideia de que vamos ter um colapso cardíaco a qualquer momento se burlarmos as regras fanáticas da boa alimentação. 

Eu mesmo, quando era criança, comia tanto DIPILIK (aquele pirulitinho que vinha no saquinho e a gente molhava ele constantemente no pó de suco "extra mega fucker químico" dos anos 80). Salgadinhos Elma Chips já não era tão comum, pois o excesso de sal machucava o céu da minha boca, mas sim, volta e meia, lá estava o gordinho nerd de cara de boneca, franjão, roupa surrada e saquinho de salgadinho na mão. Eu não morri, não tive um ataque de pressão alta, nem diabetes.... pelo menos não até agora. E meus dois rins ainda estão comigo. rsrsrs... 

E aí eu vejo algumas pessoas, tão preocupadas em se cuidarem, desenvolvendo um monte de malefícios. Juro que não entendo o porquê dessas doenças acontecerem. Mas penso que esse sensacionalismo da indústria da mídia está por fora! O que vai acontecer é que as pessoas vão envelhecer e vão adoecer do mesmo jeito, cada qual com sua predisposição genética. E daí, elas vão reclamar a quem? Restará conviver com seu quadro de cuidados e restrições para continuarem vivendo - e lamentarem-se por terem perdido tantos anos sem saber o que é correr na praia e encher o pezão de areia, tomar banho de Sol à brisa e ao som das ondas do mar, rejeitar os rodízios de carne e pizza, os bolos de aniversário e muitas outras coisas que teoricamente oferecem sempre um risco à saúde, mas que tornam a vida bem mais gostosa de ser vivida se forem apreciadas de vez em quando com cuidado. 

Podem me achar de ignorante, mas, nada me convence que frutas, verduras e legumes sejam mais saudáveis a um pedaço de carne frita ou cozida, um cafezinho quentinho, uma boa pizza, lasanha ou macarronada com molho a bolonhesa. É inegável saber das propriedades de cada alimento da natureza, mas, como é que posso considerar ser saudável encher minha barriga com tomates, uvas, morangos e maçãs cheios de agrotóxicos? As verduras crescem na terra, desenvolvem-se consumindo esterco, ou seja, cocô! Em alguns lugares, para essa colheita permanecer livre de pragas, ela acaba recebendo seus banhos de proteção com soluções nada saudáveis: substâncias de alto teor cancerígeno. Os milhos, desde a sementinha lançada na terra até o momento da venda ao consumidor, vão sendo envenenados pelo produtor e depois a mídia vem com a maior cara de pau afirmar que o problema está na conversa de água e sal na lata. Não estou inocentando os conservantes da mesma, mas será mesmo que a raiz está dentro de uma lata - a mesma lata que também conserva o extrato de tomate e ninguém nunca diz nada de ruim sobre essa questão. Curioso é ver que a mesma mídia até mete o pau no consumo de carne vermelha, mas arreganha as pernas para a Friboi, Gold Meat e mais algumas outras marcas poderosas do gênero. Eu nunca vi a mesma equipe que se diz jornalística pegar o telespectador em seu horário nobre para informar que aquele pedaço de presunto que a Fátima Bernardes come na frente de todo mundo é tão prejudicial quanto qualquer outro. A informação que vamos tendo é a de que salsicha, presunto e mortadela fazem mal, possuem altas concentrações de sal e gordura, mas aqueles que a Fátima Bernardes, o Tony Ramos e a Angélica comem são muito saudáveis.

É por essas coisas (e muitas outras mais) que não me deixo levar por essa onda fanática de saúde e bem estar que deixa todo mundo magro ou bombado alegando estarem mais felizes assim. Sem dúvida que um corpo bonito é atraente, mas quando você fica mudando cada aspecto de sua vida em busca de alcançar tal patamar, acreditando que ali está a sua felicidade, saiba que está fadado a se desiludir muito acreditando nas mentiras que a mídia lhe fornece usando a televisão (e a Internet) como seus principais veículos de comunicação, onde promete saúde e longevidade aliados a um corpo bonito e feliz. Saiba que o tempo passa para todos. Há quem faça plásticas e demais procedimentos estéticos caros para enganar a fisionomia envelhecida. Mas o espelho sabe (e a própria pessoa também) que, por trás daquela carcaça bonita, existe um organismo que envelhece e, como tal, vai ficando suscetível às mais variadas mazelas.

Quero mais é ser feliz, usar e abusar do que gosto e viver. Depois, quando estiver doente, aí já é uma outra história. Mas, doentes, todos ficaremos. Quando meus remédios para combater o HIV de dentro do meu corpo não fizerem mais efeitos e me trouxerem diversos problemas como perda de visão, audição, coordenação motora e memória, aí já não vai adiantar muito eu me deitar e chorar pelo tempo que tive para ser feliz, mas preferi me privar de tais momentos acreditando num futuro de comercial de margarina.

Mais vale viver dez anos  sendo feliz a ter que ficar robotizado por cem anos ou mais. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Peço educação e gentileza na troca de ideias. Obrigado!